À luz da lua, estava só ele e ela. Caminhavam pela estrada banhada pela cor prateada do luar, enquanto paravam por um segundo aqui e ali quando o assunto pedia olhos nos olhos e algumas risadas.

Ele estava encantado por ela. Seu sorriso havia o fisgado há muito tempo e agora já era tarde demais para retornar. Droga, pensava ele. Estou encrencado.

Ela falava de uma pedra e fazia parecer interessante.

Continuar lendo “Pontos brilhantes”