Busca

Pensar Para Variar

Categoria

Poesias e poemas

Lar

Ele construiu ali o seu templo.

Não era uma casa com tijolos e telhado.

Mas era uma morada bem construída

Dentro do coração de outra pessoa.

Onde estivesse, não importava.

Se com ele carregava a sua casa.

Bens físicos? Desapegado.

Mas o seu verdadeiro lar era muito bem decorado.

Chegava com seus enfeites e o tomava cada vez mais para si.

Continuar lendo “Lar”

Anúncios

Jornada de um dia

Um dia, sem pedir permissão, sua vida passou diante de seus olhos.

Não bateu antes de entrar. Simplesmente arrombou a porta e passou, como um vulto denso. Que deixou rastros.

Ela captou 27 anos de si em segundos e os sentiu em seu estômago, em suas pernas, em sua boca, em seu tato e em seu peito. Em seguida, em sua garganta e em seus olhos.

Seu próprio corpo lhe contava ali a história de si mesma.

Ela se fragmentou em pedaços.

Continuar lendo “Jornada de um dia”

Ignorável Alucinação

Talvez você tenha sentido
Uma tensão no ar toda vez que seus olhos se cruzavam
Uma ansiedade estranha em estar ao seu lado
Um descompasso desconcertante na respiração

Talvez tenha notado
Esses efeitos diferentes que desencadeavam
Em seu corpo com a mínima aproximação

Talvez tenha querido
Colocar essa pessoa sob seus braços e sua proteção
Tomá-la para si de bom grado
E mostrar como faziam a perfeita combinação

Continuar lendo “Ignorável Alucinação”

[POESIA] Tornar-se Rio

A água passa, seguindo seu curso, sem pressa
Impondo o seu leito
Cria seu caminho, perfeito, com tudo a seu favor
E torna-se grande, majestosa
Aceitando de graça tudo aquilo que cruza seu destino
Torna-se rio
E segue engolindo todo riacho que passa
Em meio às suas correntezas
A sabedoria de que tudo é contornável
E, se tiver paciência,
Torna-se moldável.
Por onde o rio passa itinerante
A tudo limpa, agrega e revigora
Durante seu constante nascer e desaguar
Cultiva vida por dentro
E inspira vida por fora.

Continuar lendo “[POESIA] Tornar-se Rio”

Eu Sou

Eu sou o sopro de vida em carne, pele e osso
Eu sou a consciência em forma de mente
Eu sou o fazer, o querer e o pensar
Eu sou o ser, o sentir e o pulsar
Eu sou ignorância
Eu sou sabedoria infinita
Eu sou os meus problemas
Eu sou a solução
Eu sou expressão divina
Eu sou expressão humana
Eu sou as perguntas
Eu sou as respostas
Eu sou dualidade
Eu sou unicidade
Eu sou a criação
Eu sou o criador
Eu sou tudo
Eu sou nada
Eu sou.

[POEMA] Eu Paradigma

Não sou da tribo dos hippies
Tampouco pertenço aos materialistas
Ao mundo físico não me venderia
E antes buscaria o simples não-simplista

Não sou do grupo dos incultos
Mas leio Best-sellers
e falo o melhor mineirês

Não me ofendo fácil com insultos
Passar por garotinha não poderia
Apesar de meu rosto enganar os desavisados,
nota-se meu desajeito pelo andado

Continuar lendo “[POEMA] Eu Paradigma”

[POESIA] Libertação

Um lugar apertado, sujo, escuro
Totalmente preso.
Não com algemas, cordas
ou qualquer tipo de empecilhos táteis.
Simplesmente incapaz de se mover.
Petrificado, os pés presos no chão por uma força invisível.
Mas os olhos sem se desviarem do topo,
da pequena fresta do topo,
tão luminosa, tão impressionantemente libertadora.
Algumas criaturas ao seu redor movem-se levemente incomodadas
quase imperceptíveis,
enquanto algumas nem ao menos se incomodam,

Continuar lendo “[POESIA] Libertação”

[POEMA] Domingo Gostoso

Eu quero um domingo diferente
Sem dever, sem preocupação permanente
Quero me jogar ao dia, me entregar a novas alegrias
Ter muitas coisas a fazer, mas tudo o que me dê prazer
Ou nem fazer nada ou ter uma agenda programada
Quero estar inteira e me cultivar
E ter tempo para desperdiçar
Quero família
E um almoço digno de domingo
Uma enorme panela e sobremesa
E todo mundo rindo…
Levantar os pés para cima
e deitar todos no chão com almofadas

Continuar lendo “[POEMA] Domingo Gostoso”

[POESIA] Auto-estímulo

[Espelho de duas faces]

Do que você está rindo?
Eu não sou menino
Porque me julga incapaz?
Porque você olha com piedade,
cínico, superior
Eu não nasci ontem
Tenho muita vida para trás
Porque você se acha mais sabido?
Porque pensa que tudo que fala é absoluta verdade
sem nada a te opor?
Porque vagueia enquanto eu falo
como se nada tivesse sentido?

Continuar lendo “[POESIA] Auto-estímulo”

Blog no WordPress.com.

Acima ↑