Criaturas urram de todos os lados, e outras respondem de outros.

Batendo forte no peito, cada uma em seu espaço, chamam a atenção para si e intimidam.

Há seres de todas as espécies e raças, porém todos visam o mesmo objetivo: dominar a selva.

Para isso, precisam destacar-se. Precisam estufar o peito e ser bons caçadores.

Aqueles que não se garantem estão fora. Para sobreviver ali, é preciso ser aceito por algum grupo.

Alguns predadores se saem melhor por natureza e recebem algumas coroas por isso.

Porém, para muitos outros seres, a vida na selva não é um mar de rosas. Viver ali pode ser bastante ameaçador e intimidante, mas a lei da selva é clara: é cada um por si. Vivem em bandos, mas, por fim, cada um cuida do seu.

A vida selvagem é paradoxal. Todas as criaturas estão interconectadas no mesmo ecossistema, vivem em grupos mas todas estão só.

Interpretam papéis, ora são as presas abocanhadas pelas costas, ora abocanham outros que cruzam seu caminho.

Trocam de pele facilmente.

Urram alto mas são frágeis por dentro.

Comem carne podre entregue aos abutres para saciar o vazio, mas desejando um dia provar do mais puro alimento.

Colecionam superficialmente inúmeros seres ao seu dispor, desejando no fundo ter apenas um profundo.

No fundo, todos eles buscam proteção.

Agem como leão para não ser tratados como gazela.

Mas, de perto, se observar bem, os seres selvagens não passam de gatinhos esperando por alguém os acariciar na barriga…

¨

Anúncios