Hoje eu levei um choque. E não estou falando da corrente elétrica que brotou do meu peito e percorreu toda a minha alma durante 1 hora e 15 minutos ouvindo atentamente a um podcast do Anthony Robbins. Não, eu efetivamente tomei um choque de sei-lá-quantos volts por alguns segundos, embora tampouco acho coincidência a sacudida metafórica momentos antes.

Talvez esse tenha sido um daqueles “momentos breakthrough”, que ele tanta fala a respeito. O engraçado é que realmente acontece quando se menos espera, como em uma banal ida à padaria.

De repente, você experiencia uma situação inesperada e sua mente gira velozmente tentando entendê-la e, em seguida, processar o que acaba de ocorrer. Por fim, aquele emaranhado de pensamentos se desembaraça, a teia de crenças se desfaz e, juntos, caem leves ao chão. Você sorri, vendo agora mais claramente e finalmente compreendendo o significado de tudo.

No meu caso, eu precisava me ligar. Há anos eu venho funcionando apenas no meu modo econômico, com o brilho apagado, para poupar bateria. Coloquei meu eu verdadeiro no standby, e nem percebi. Apenas sentia como a vida andava sem sentido, mas me acostumei guela abaixo a este sentimento e pensava “ta tudo bem”, afinal nunca me faltou nada e nunca deixei de ter minhas realizações. Desceu-se um véu sobre mim que, dia ou outro de ventos fortes, eu podia ter alguns vislumbres de como era a minha vida fora dele. Mas logo o tempo se aquietava e ele voltava a seu lugar. Até hoje.

Hoje eu recebi uma mensagem de uma das minhas melhores amigas do mundo, que a distância – e meu véu – nos levaram a ficar distantes de outra maneira. Não havia palavras, apenas um link para um texto duro, porém de real beleza, sobre amigos em uma coluna do Estadão. Texto que eu estava lendo e justamente lembrando dela momentos antes, com o celular na mão na padaria  esperando pelo meu lanche, até que meu celular serviu de condutor para uma descarga elétrica.

E agora eu vejo: quando não estamos sendo o nosso eu verdadeiro e não estamos vivendo de acordo com nossa essência, todas as áreas de nossa vida também ficam no modo econômico. É absolutamente uma vida suficiente, mas está longe de alcançar seu potencial. Imagine o que você pode ser no 100%? Quantas coisas e pessoas você está negligenciando?

Hoje eu prometo que nunca mais vou deixar essa corrente sair do meu corpo. A energia nos traz o fenômeno maravilhoso da ação. No standby, tudo parece complicado demais – até que se cai na real que é tão simples como apertar um play. No fundo, você sabe o que fazer.

Hoje eu entendi que a frase batida de sermos gratos em todos os momentos por tudo que temos realmente bate lá no fundo quando você a sente e tem esse momento lindo de plenitude. “A breakthrough moment”, diria Robbins. Aquele momento que seu brilho volta-se ao 100%. A você, deixo a pergunta martelando para, quem sabe, perfurar seu coração: Hoje, você está brilhando?

¨

Anúncios