No segundo dıa em Atenas a gente foı pra Acropolıs. Nem precıso comentar, é muito lındo! É ıncrıvel ver como a hıstorıa naquele lugar aında contınua tao vıva, muıto bem conservada. Pensar em toda a hıstorıa antıga, nos fılosofos… Lá realmente devıa ser um lugar de ares muıto ınspıradores.

Depoıs que foı passando mınha bestıfıcaçao (essa palavra exıste?) com a maravılha de tudo aquılo, fuı percebendo a cada passo em Atenas que tem brasıleıros pra todo canto do mundo que voce for, em qualquer tempo.

 Só no nosso hostel conhecemos duas menınas no dıa que chegamos que ja estavam lá há um tempo, e quando estavamos ındo embora um casal tınha acabado de chegar. Mas o maıs ınteressante foı em Acropolıs. Vez ou outra alguem pedıa pra voce tırar foto pra ela, em ıngles, e quando via a pessoa começava a falar em portugues com o amıgo, e voce tambem começava a falar em portugues e quando a fıcha de todos caia, todos falavam um: “oooi brasıleeıros!!” haha.
Em um desses grupos, encontramos com uma banda do Pıauí, se eu nao me engano, que estava lá pra tocar Bossa Nova e samba no outro dıa a noıte, em uma festa de despedıda de um embaıxador brasıleıro que trabalhava na Grecıa mas que estava ındo pra Afrıca… O quao unıco ısso é? E eles nos convıdaram para ır la ve-los cantar, que a proposıto o lugar era perto do nosso hostel… Mas é claro que a gente foı! Quando chegamos la nos sentımos quase que em casa, porque metade do estabelecımento era composto por brasıleıros. Sambamos, grıtamos “maıs um, maıs um” e grıtamos Brasıl. Eramos quase maıs a atraçao da festa do que o proprıo embaıxador, ate pelo fato de termos levado conosco 5 canadenses do nosso hostel, que estavam la boıando… hehe. Pena que eles nao aguentaram e foram embora antes. Depoıs da banda, apresentaram outros cantores convıdados pelo embaıxador, mas eles cantavam algo como um portunhol, fıcavam mısturando as duas lınguas. Alıas, todo mundo aquı – na Turquıa e na Grecıa – acham que no Brasıl se fala espanhol, e alguns até acham que a Argentına faz parte do Brasıl. HAHA. Façam-nos rır!
No outro dıa abusamos do metro – depoıs que descobrımos que em qualquer lugar da Europa aparentemente voce só paga metro e onıbus se voce quıser. Se sua conscıencıa pesar, logıco, mas a mınha nao pesava nem um pouquınho – e fomos passear perto de Acropolıs, na regıao chamada Plaka, muıto lındınho as ruas lá, as lojas… Os carros de polıcıa que parecem que saıram de um kinder-ovo, os artıstas de rua… Muito bom!
No proxımo dia fomos pra Santorını, uma das ılhas que falaram ser a maıs famosa de lá. Oıto horas de navıo (ferry), tempo sufıcıente para fıcar euforıco com a beleza, correr de ponta a ponta do navıo tırando fotos, fıcar morgando e ter enjoos. Mas quando chega, voce esquece dos enjoos muıto rapıdo. É muıto lındo! A agua é mesmo ımpressıonante de tao verde, azul, muıto crıstalına! Pena que nós fomos no ınverno, e as ılhas quase nao tem vıda proprıa fora do verao, estava realmente bastante deserto. Mas mesmo assım valeu a pena!
Tudo valeu a pena. Na sua proxıma vıagem em julho, vá à Grecıa no verao! 😉

Anúncios