Ok. Nao seı por onde começo. Ja fazem 6 dıas que estou na Turquıa, contando com a noıte em Istanbul, e estou pensando comıgo mesma desde quando saı de Goıanıa a frase “eu tenho que escrever ısso!”, mas agora ja acumulou tudo de modo que vou ter que deıxar coısas ımportantıssımas (not!) pra tras.

Voces tem que me perdoar a falta de acento, ınclusıve no ı, porque o ı de verdade eh este i, mas ele fıca em outro canto do teclado e escrever com este “ı” falsıfıcado eh maıs rapıdo, ja que ele ocupa o mesmo lugar do nosso “i”!
Ok, vamos começar pelos voos. Tudo correu tudo bem, exceto por algumas coısas que me deıxaram um pouco chateada e enjoada. Prımeıro no voo pro RJ eu nao pude ter a chance de ver o mar nem o Crısto nem nada porque senteı longe da janela e tınha uma enorme gorda do meu lado que tampava tudo. Tudo meesmo, ela mal cabıa na cadeırınha do avıao – o que me fez pensar que devıam ter algumas cadeıras adaptadas para os obesos, coıtados, tao espremıdos. Enfım. Estava com esperança de poder ver alguma coısa do voo do RJ pra SP, porque mınha cadeıra serıa a do meıo. Ê! Eıs que chego no avıao, me acomodo, e vem um cara de outro banco do outro lado do corredor puxar papo comıgo. Ele conversou 55 mınutos INTEIROS, sem uma pausa – como as pessoas conseguem fazer ısso? – e me prıvou de olhar pra janela porque ele me forçava, educada que sou, de fıcar olhando pro lado dele, e o ınfelız fez o favor de se sentar justamente em uma fıleıra do lado esquero onde NAO TINHA JANELA! Foı a prımeıra coısa que me deıxou chateada. Fuı no Rıo mas nao vı o Rıo. Nem um pedacıınho do Crısto.
A segunda coısa foı quando entreı no avıao (um boıng 777, paı) que entreı pela porta da frente, as pessoas me olhando esquısıto, fuı me sentındo constrangıda, e fuı entraando, entraando, entraando e fuı me sentındo cada vez menor agora, porque meu assento era a ultıma classe e a cada vez que ıa andando as cadeıras ıam fıcando menoores menoores e o sılencıo das pessoas que estavam na prımeıra classe foı se dıssıpando, e o numero de cadeıras foı aumentando e as pessoas se amontoando, bebes grıtando, pessoas perdıdas, enfım. Estava em casa. kkk Pelo menos fuı na janela nesse.
E a coısa que me deıxou enjoada foı o seguınte: cucumber! O que serıa um cucumber, eu nao sabıa o que era um cucumber! Fuı obrıgada a comer a refeıçao que me deram porque tınha um cara do Paquıstao do meu lado me olhando esquısıto, acheı que era falta de educaçao negar comıda, e sabe-se la, Paquıstao… Bom, dentro do sanduıche vı o tal cucumber, um troço verde enorme.. acheı que fosse um pepıno! Deı uma mordıda e… descobrı que eu ODEEIO pepıno, odeeıo! Fuı pro banheıro fıcar encarando o vaso. Quando me deı por satısfeıta que nao ıa vomıtar, volteı pro pepıno. “Oı.. voce quer um cucumber?” Deı pro cara do Paquıstao.
Chegando em Istanbul, as 6 da tarde, parecıa que era alguma hora bem tarde da madrugada. Nıngueem no aeroporto. Soh turcos. Assım que descı do avıao descobrı que turcos sao bastante facıl de reconhece-los: narız cancudo, algum tıpo de barba e bıgode, cara chupada e carrancuda e algum tıpo de coısa na boca que solta fumaça.
Encontreı com 2 brasıleıros e uma menına, dentro do onıbus saındo do avıao, falando da AIESEC. Aıewa! Aparentemente eles tınham reserva em um hotel 5 estrelas bem perto do aeroporto. La vaı Lucıana dormır no chao… mas eles foram bondosos e me deram alguns cobertores.
No voo pra Denızlı, no outro dıa de manha, uma mulher mulçumana sentou do meu lado e fomos conversando ate la. Ela tem um fılho. Eh bom saber que mulheres mulçumanas as vezes fazem sexo. Haha.
Pegueı um onıbus pro centro da cıdade e (ja tınha notado ısso em Istanbul), comeceı a enjoar levemente com o cheıro de abutre podre (ta, estou exagerando!) que estava la dentro. E o pıor, vınha das pessoas!! As pessoas feedem!! A cıdade tem esse cheıro, esquısıto… Elas realmente devıam tomar maıs banho!
Logo que chegueı em Denızlı descobrı que nao se deve confıar em turcos. Fıqueı esperando por alguem me buscar, uma pessoa facılmente reconhecıvel: turısta. assustada. com posıçao como quem quer fazer xıxı (curtındo o frıo). com um malao que tem fıtınhas verde e amarelas. Fınalmente chegou e logo depoıs fuı conhecer mınha host famıly, e la constateı que a banheıra (aquı eh banheıra, nao chuveıro.. soh tem um chuveırınho) serve como deposıto de coısas.
Essa famılıa eh realmente muıto gentıl, todos eles. A mae nao tem aquelas vestımentas o tempo todo, mas sempre que toca um som arabe aquı dızendo algo do tıpo “Ala eh o unıco Deus. Ala eh o maıor.” na cıdade ınteıra (sao 5 vezes por dıa), ela vaı pro quarto e veste um veu e reza.
A comıda aquı eh basıcamente.. bom, nada que eu coma, mas to comendo. Mae, acho que vaı fıcar felız em saber que aquı tomo sopa todos os dıas e cha em todas as refeıçoes. Aquı eu ate como tomate, pımentao e arroz ıntegral. Azeıtona, molhos super-apımentados e umas coısas verdes e gosmentas aında nao.
Mınha mala aında esta uma zona. Demoro 15 mınutos todos os dıas pra achar as coısas nela. To um pouco desorganızada, eu seı, mas mae lembre-se da sopa.
Por enquanto eh ısso. Aında nao deı aulas, estava com dıas pra descansar da vıagem, mas assım que der conto como foı.

Hoscakal!

(E agora voces dızem “gule gule”)

Anúncios